terça-feira, 24 de maio de 2011

NADAR!!!

Autor: Fabienne Guttin, 56 anos, Professora de Francês, Intérprete, Tradutora. E Nadadora.
"Perseverança" é o primeiro ímpeto que deveriamos abraçar ao acordar todos os dias, em qualquer idade, em qualquer realidade, em qualquer perspectiva.
Apláusos a essa mulher e a este seu texto lindo, corajoso, estimulante.

18:30...frio, garoa...piscina descoberta...vento gelado.
Porém, nem esse tempo, nem o dia que foi noite, me farão desviar de minha rotina disciplinada. Fui, vesti a fantasia de nadadora. Grudei o treino no bloco. Arranquei o roupão que também tinha frio. Mergulhão. A água me envolve num abraço. A chuva engrossa. O vento aumenta. Nadadeira, palmar, para-chute, snorkel, flutuador, prancha e tempo-trainer...todos comigo.Minhas costas recebem a chuva num misto de do-in e de acupuntura...A piscina é só minha. Meu lado egoista aprecia isso. Depois dos 800 de aquecimento, dos 500 de braço, dos 500 de perna e dos 5x200 crawl, me viro para os 300 de costas. Não há estrelas. O céu está escondido sob as núvens. Mas há um holofote enorme debaixo delas. A lua resolveu que ela também não se deixaria intimidar pelos céus. Ela e eu. E a água. Tudo tão perfeito. A harmonia é total. Acabo o treino com os 5 de 100 medley e os 200 borboleta, 200 para relaxar...Saio da piscina. Agradecida. Com o corpo quente e a pele que reage ao frio. Me sinto em sintonia com tudo. E um pensamento atravessa toda minha alma: amanhã tem mais. Estou viva

4 comentários:

san disse...

Bruna, só a sua sensibilidade para encontrar um texto desse porte. Lindo, maravilhoso, dá vontade de sair nadando todos os dias. Dá vergonha de pensar que a gewnte reclama à toa, que a gente se acomoda e que a gente, sem querer critica o outro. Ao ler esse texto me senti motivada e acolhida. Amei. Bjs san

Samia disse...

Gostei muito da perseverança que ela mostrou no texto. Grudei a postagem dela na minha geladeira.rs.
Mas, gostei mesmo foram as frases curtas, a imagem do "macacão que também tinha frio", "das costas que recebem a chuva num misto de do-in e de acupuntura" e da recompensa que ela conseguiu depos de todo esse esforço: "Me sinto em harmonia com tudo...Estou viva."

Kely Cristina S. Felício disse...

Muito bom. Me lembrei de uma frase do Dostoievsky "A única coisa que temo é não ser digno do meu tormento". Eu diria que, mais sagrado que isso é temer não sermos dignos do nosso desejo. A persistência é o culto cotidiano a esse sagrado, o desejo a potência de ser e viver. Obrigada Bruna.

Samia disse...

Estou com saudades dos seus textos.