quinta-feira, 25 de novembro de 2010

RUBENS SABOYA, escultor. Velho amigo



Escultor de deuses e heróis. Bronzes imponentes cujo peso do metal é menor do que a força de suas formas.
Amigo antigo, é sabedor da admiração que lhe tenho. E não só pela qualidade e importância de suas obras, mas principalmente pelo intrínseco que são os sentimentos dele que elas escondem: sensibilidade, contemplação, ascetismo.
Aqui a prova nas poucas linhas que me mandou por e-mail outro dia, assim como vieram:
Oi, Bruna! Você me deixa feliz quando nos falamos. Bom resumo, né? Sou meio troglodita com o pc e web; pra complicar minha conexão anda como um jabutí. Mas vou me virando. Mandei procê um arquivo, igual ao que tem a Rosana. Estou decidido a voltar pro Rio, a despeito daquele calor africano. Ainda tenho dúvidas do que fazer com meu sitio. O fato é que estou apaixonado pelo jardim, e jardim significa também pessegueiro cheio de frutos, filhote de passarinho cantando num ninho em cima da minha janela, pássaros (muitos, de todo tipo, coisa de louco), sapos, borboletas, pirilampos, céu estrelado, sol entrando na cama de manhã com direito a arco iris às trés e meia da tarde. Também o som que faz o bambuzal quando passa o vento: uma criatura de fazer inveja de tão bela e sonora. E o rumor do rio espremido entre as pedras...
Não vou a São Paulo há dez anos, um absurdo. Quando for, iremos nos encontrar e tomar um café num lugar bacana com a Rosana. Tá legal?
Vou mandar também um arquivo com vinte fotos via web prati. Esse "prati", que saiu sozinho por vontade própria, parece Tupy, né? Me avise se receber, pois tenho cá minhas dúvidas...
Muitas saudades, beijos miiiiiiiiiiiiil !
O que eu posso responder a tamanha maravilha? algo simples e talvés lacônico:
no pc e web eu também sou troglodita, mas consegui tudo o que você mandou e tudo o que eu queria do seu curriculum e de seu espirito. O ponto alto do seu texto, além da poética, é a palavra "rumor", que ninguém usa mais e sempre substitue por aquele vazio "barulho" por que ninguém se dá conta de quão altissonante e onomatopáico o "rumor" é!
Até nosso proximo café por aqui. Beijos Bruna.
PS. Quis publicar também uma das fotos do seu sítio no fim de todo esse texto e não consegui!
Vc viu? não é só vc ruim de computação...

Um comentário:

rosana disse...

Bruna,
O Rubens é mesmo um pessoa especial, mas ele esqueceu de me contar o quanto vc escreve bem.
Adorei os posts, as short stories.Me pergunto se já publicou alguma coisa e , se nao, está na hora, viu?
coloquei seu blog entre meus favoritos.
beijos