quinta-feira, 17 de setembro de 2009

BRIOS -- Microconto

Tarde gelada, halitos visíveis, echarpes ao vento. As pessoas que passam por ela fingem não notá-la. Mas Júlia sabe.
Vê-se refletida na vitrine da confeitaria, cabelos livres, olhar seguro.
Apesar da cicatriz que lhe deforma o rosto numa perene careta de escarnio, sente-se linda: a coragem de ter sido ela a dizer adeus, fizera toda a diferença.

3 comentários:

Escrevivendo "Fragmentos de Mim" disse...

Escrever é preciso! Saudades de ti e das balas de alcaçuz... sempre!

Gabriela (Escrevivendo)

san disse...

Bruna, minha querida, você arrasou! Esse seu mini conto está demais. Incrível como vc trabalhou a concisão! Em poucas linhas a gente descobre tudo! Amei!
bedjos
san

Tânia Tiburzio disse...

Adorei este também!!!
No mais, visite meu blog. Tem um presente para você lá: um selo para você colocar no seu blog.
Beijos.